Home / Artigo / Economias mais fracas da UE com menos elétricos
Economias mais fracas da UE com menos elétricos
24 Mai, 2019

As economias mais fracas são mais lentas na eletrificação do parque automóvel dos seus países. A conclusão é da Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA).

A associação comparou os dados nacionais das vendas de veículos carregáveis ​​eletricamente (VCE) com o PIB per capita nos estados-membros da União Europeia em 2018 e concluiu que todos os países com uma quota de mercado de VCE inferior a 1% cento – ou seja, metade de todos os estados-membros da UE – têm um PIB per capita inferior a 29 mil euros.

Na Letónia, por exemplo, foram apenas vendidos 93 veículos elétricos no ano passado, e a Polónia tem a menor quota de ECV da UE, de apenas 0,2%.

No sentido contrário, os mercados em que os VCE têm uma quota superior a 3,5% são os países com um PIB superior a 42 mil euros, como Finlândia, Países Baixos e Suécia.

Para a ACEA, infraestruturação e incentivos são pontos-chave para mudar esse cenário.

“Além de investir na infraestrutura de recarga, os governos da UE precisam de criar incentivos significativos e sustentáveis ​​para estimular mais consumidores a mudarem para a eletricidade”, considera o secretário-geral da ACEA, Erik Jonnaert.

As instituições da UE aprovaram recentemente o novo regulamento sobre o CO2 para automóveis de passageiros, estabelecendo metas de redução de 15% e 37,5% para 2025 e 2030, respetivamente. Essas metas seguirão a meta de 95 g de CO2/km para o ano de 2021, definida em 2013.

Tags: 
ACEA
Eletrificação

Receba a nossa Newsletter

Receba periodicamente conteúdos sobre as tendências de mobilidade e do setor automóvel

Receba a nossa Newsletter

Receba periodicamente conteúdos sobre as tendências de mobilidade e do setor automóvel

Pin It on Pinterest